AGRO

Municípios da região terão vazio sanitário especial nas plantações de algodão

Municípios da região terão vazio sanitário especial nas plantações de algodão

Medida visa reduzir incidência de praga que destrói plantações

Medida visa reduzir incidência de praga que destrói plantações

Publicada há 2 semanas

Secretário Filzzola e Pignatari: confirmação de vazio sanitário. Foto: AsCom

Da Redação

O deputado Carlão Pignatari reforçou, nesta terça-feira (26), em reunião com o secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Guilherme Piai Filizzola, a demanda de agricultores por adequação do prazo para o vazio sanitário do algodão no noroeste paulista –período em que os agricultores precisam eliminar a planta e qualquer resíduo para combater o bicudo-do-algodoeiro, uma praga que pode destruir plantações inteiras e gerar prejuízos econômicos e sociais.

“Reforcei ao secretário a necessidade dos agricultores por um período especial para o vazio sanitário do algodão no noroeste paulista. Ele afirmou que, em breve, será publicada uma resolução com um prazo especial para a região noroeste paulista”, disse Carlão Pignatari. “Agradeço ao secretário Guilherme Filizzola e ao governador Tarcísio de Freitas por atender a nossa demanda, que é fundamental para os produtores de algodão do noroeste paulista”, disse Carlão Pignatari.

O prazo acertado será de 10 de setembro a 10 de novembro. Atualmente, o vazio sanitário para a região e para todo o Estado de São Paulo está compreendido entre 10 de julho e 10 de outubro, o que prejudica a produção de algodão no noroeste paulista, principalmente em razão do clima, por ser diferente de outras regiões do Estado. Em anos anteriores, Carlão Pignatari também atuou para garantir a mudança, com sucesso.

“O clima na região sul do Estado é diferente do registrado no norte ou noroeste paulista. Então, o vazio sanitário do algodão precisa ser adequado ao período ideal para o noroeste paulista. De acordo com os cotonicultores, o vazio sanitário deve ser entre setembro e novembro, porque o cultivo da lavoura começa em dezembro e janeiro, garantindo segurança econômica, sanitária, agronômica e legal”, disse o deputado.

Ao todo, a medida vai beneficiar produtores de 60 municípios do noroeste paulista (veja lista abaixo). No período, eles devem limpar toda a área cultivada e acabar com qualquer resíduo da planta, inclusive rebrotes. Do contrário, a praga permanecerá no local, afetando cultivos futuros. A ação está em conformidade com o Programa Nacional de Prevenção e Controle do Bicudo do Algodoeiro, em vigor desde 2008.

O bicudo-do-algodoeiro é uma praga com alto potencial de destruição, podendo causar danos em diferentes partes da planta. Além disso, o inseto tem preferência pelas estruturas reprodutivas, nas quais perfura os botões florais para a alimentação e colocação de ovos, causando sua queda. “O bicudo-do-algodoeiro é a principal praga da cultura. Então, esse manejo é essencial para o sucesso do plantio e da colheita”, disse o deputado Carlão Pignatari.

Produção

De acordo com dados da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, o Estado de São Paulo, que já foi um grande polo produtor de algodão e da indústria têxtil, vem retomando a atividade no campo há mais de cinco anos, com aumento de área plantada e volume de produção. A área plantada na safra 2022/23 foi de 11,7 mil hectares, quase 22% maior que o registrado no ciclo anterior, com aumento da produção.

Roupas, ataduras, cotonetes, estofados, óleo refinado, alimentação animal e até papel moeda são algumas das inúmeras aplicações do algodão, que historicamente, há registros de usos desde a civilização Inca, há milhares de anos. Desde 2019, a ONU (Organização das Nações Unidas) definiu o 7 de outubro como o Dia Mundial do Algodão, de forma a celebrar seu papel no desenvolvimento econômico do mundo todo.

CIDADES DO NOROESTE PAULISTA QUE SERÃO ATENDIDAS COM VAZIO SANITÁRIO ESPECIAL DO ALGODÃO:

Mirassolândia

Monções

Monte Aprazível

Monte Azul Paulista

Neves Paulista

Nhandeara

Nipoã

Nova Aliança

Nova Canaã Paulista

Nova Castilho

Nova Granada

Nova Luzitânia

Olímpia

Onda Verde

Orindiúva

Ouroeste

Palestina

Palmeira d'Oeste

Paranapuã

Parisi

Paulo de Faria

Pedranópolis

Pirangi

Pitangueiras

Planalto

Poloni

Pontalinda

Pontes Gestal

Populina

Potirendaba

Riolândia

Rubinéia

Santa Albertina

Santa Clara d'Oeste

Santa Fé do Sul

Santa Rita d'Oeste

Santa Salete

Santana da Ponte Pensa

Santo Antônio do Aracanguá

São Francisco

São João das Duas Pontes

São João de Iracema

São José do Rio Preto

Sebastianópolis do Sul

Severínia

Sud Mennucci

Tanabi

Taquaral

Terra Roxa

Três Fronteiras

Turiúba

Turmalina

Ubarana

União Paulista

Urânia

Valentim Gentil

Viradouro

Vitória Brasil

Votuporanga

Zacarias

Fonte: Assessoria de Comunicação Deputado Carlão Pignatari

últimas