POLÍTICA

Economia! Votuporanga dispara e Jales ultrapassará Fernandópolis em 13 anos

Economia! Votuporanga dispara e Jales ultrapassará Fernandópolis em 13 anos

‘Projeto’ mostra que economia local vai mal e não acompanha progresso regional

‘Projeto’ mostra que economia local vai mal e não acompanha progresso regional

Publicada há 4 semanas

Isso mesmo e não se assuste!

O crescimento econômico fernandopolense nos últimos 20 anos sequer acompanhou o ritmo de seus vizinhos territoriais e a população local assiste a disparada da economia votuporanguense e o aproximar da jalesense que, no ritmo atual, ultrapassa Fernandópolis em parcos 13 anos.

Estes e outros dados estão compilados no ‘Projeto Desenvolve Fernandópolis’, encabeçado pelo economista Jair de Moraes, com a participação dos também economistas Geraldo Pedro Paschoalini e Edson Damasceno, tendo como base dados do IBGE, SEADE, Estadão e Chat GPT, além da Prefeitura local.

Numa apertada síntese, podemos apontar que Fernandópolis, comparativamente as duas cidades de porte ‘similar’ na região continua em uma posição intermediária entre Votuporanga e Jales, porém cada vez mais distante do pujante crescimento votuporanguense e vendo Jales aumentar de tamanho em seu retrovisor.

Aos dados gerais:

- Dentre vinte anos (compreendidos no período de 2000 a 2020), Votuporanga apresentou crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB) na ordem de 291,9%, Jales de 216,2% e Fernandópolis, na rabeira, de 195,2%.

O PIB local, que há 20 anos era 55% maior que o jalense, em 2020 estava em ‘apenas’ 30% a mais; comparando com o votuporanguense, naquela data, era apenas 4,8% menor, em 2020 já era 31,6% menor.

Resultado: a liderança votuporanguense abriu mais espaço e se consolidou, enquanto que, mantida as condições e segundo a projeção dos economistas, Jales ultrapassará Fernandópolis em 13 anos.

Comparativo setorial com Jales:

O PIB da Agropecuária local era, em 2000, 50% maior; em 2020 está apenas 12% a mais; a geração de Impostos em Fernandópolis era, naquele ano, 81% maior que em Jales, em 2020 caiu para 27%; o PIB Industrial era 86% maior, caindo para 21%; o do Setor de Serviços era 44% maior e agora é 32%. Resumindo, dantes a economia local era 55% maior que a rival e agora (em 2020) é 30%.

- Comparativo setorial com Votuporanga:

Éramos 147% maior na Agropecuária em 2000 e regredimos para apenas 61% a mais; a geração de impostos por lá era 8% maior e agora é 39% a mais; o PIB da Indústria de Fernandópolis era 23% maior e agora é 41% menor; o do Setor de Serviços era 14% menor e passou para 30% menor. Resumindo, nossa economia era 4,8% menor que a de Votuporanga e passou para 31,6% menor.

Isso em apenas duas década!

Situação econômica exposta, vamos ao prisma político!

O ‘Projeto Desenvolve Fernandópolis’ também delineia o ‘progresso’ fernandopolense ao longo das cinco gestões do período, apontando os respectivos índices.

Em 2000 foi o último ano da gestão Armando Farinazzo, portanto não aplicável.

Dentre 2001 a 2004 quem governou o município foi Newton Camargo (primeiro ano) depois sucedido, por óbito, por Adilson Campos. Esse teve expansão com 36,6% de crescimento do PIB.

Entre 2005 a 2008, a administração municipal foi comandada por Rui Okuma, sucedido em 2006 (também por óbito), por Ana Bim. O crescimento foi na casa dos 37%.

De 2009 a 2012 a gestão foi comandada por Luiz Vilar, apresentando índice de ascensão de 42,4%.

Em 2013 volta Ana Bim que governa até 2016 e traz projeção positiva de 48,9 pontos percentuais - a maior apurada.

De 2017 a 2020 assume o Paço Municipal André Pessuto e apresenta crescimento do PIB na ordem de 23,1%.

Série de Artigos

Os consolidados e projetados pelo trabalho são extremamente preocupantes e, minimamente, deveriam ser objeto de estudos mais aprofundados por parte das autoridades executivas, legislativas e outras.

Como a presente coluna trata-se apenas de uma introdução ao tema, estaremos franqueando o espaço, pelas próximas três edições consecutivas (sempre aos sábados, nas edições do Jornal Digital e no site ‘O Extra.net’) para que os signatários do trabalho apresentem, com absoluta liberdade de expressão, seus textos sobre o tema.

PS: Ressaltando que os dados fecham no ano de 2020 e não incluem os últimos três anos decorridos integralmente, nos quais a dessimetria pode ter continuado ou até ter se agravado.

O texto é de livre manifestação do signatário que apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados e não reflete, necessariamente, a opinião do 'O Extra.net'.

últimas